Translate

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Tudo que é sólido se desmanha no ar... ou a usina dos pneus e nosso futuro

Diletos leitores amigos: tenho recebido alguns questionamentos acerca de meu entendimento em relação à possível instalação em Três Corações de uma empresa que diz possuir tecnologia plasma a ser aplicada na transformação de pneus em energia. Segundo contam, seria a primeira usina no mundo a usar esta tecnologia.

A grande pergunta: o porquê Três Corações?
A pergunta é simples de responder: Eles precisam de cobaias, e nisso, com todo o respeito eles acertaram na escolha; nós somos pacíficos como os judeus, aqueles que nos campos de concentração nazistas seguiam para a câmara de gás como cordeirinhos, sabendo que não iam tomar banho. Sim, nós aceitamos sermos conduzidos por pessoas que já demonstraram incapacidade intelectual para tanto, portanto, sem compromisso com o nosso futuro.

Pelo que sei a tecnologia plasma é muito usada na queima de resíduos sólidos perigosos à saúde humana, como lixões com resíduos hospitalares. Quanto a pneus, muito pouco ou nada se sabe na prática (até Chernobil explodiu).

Por outro lado, esse grupo já andou por vários lugares, inclusive São Paulo, e não encontrou quem a abrigasse, até chegar a nós.

Confio no trabalho da arquiteta e urbanista Angela Azevedo se posicionando contrário à instalação dessa usina em Três Corações; da mesma forma os vereadores dão, em suas comissões, um exemplo de cidadania ao recusarem essa usina de pneus em nosso município.

Há uma luz no final do túnel! Resta aos munícipes colocarem nas ruas o que discutem em redes sociais; como exemplo marcante o recente aumento nas tarifas, onde falaram, criticaram, xingaram, mas ficou só nisso, nas redes. Vamos participar, ser proativos!  não podemos deixar um legado incerto às nossas futuras gerações.